Assistam esses vídeos sobre os poetas inconfidentes do período do Arcadismo.

 

Poesia dos Inconfidentes PARTE 01

Poesia dos Inconfidentes PARTE 02

 

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

 

Clique no link abaixo para visualizar o arquivo com a correção:

Avaliação Sermões

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

Interpretação do trecho inicial do Sermão de Santo Antônio aos Peixes, por Maria Bethânia. Vale a pena conferir!

 

 

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

 

 

IMG_20180912_104017715

 

 

IMG_20180912_104153270

 

 

 

 

 

IMG_20180912_104254661

 

IMG_20180912_104423588

IMG_20180912_104536166

IMG_20180912_104806215

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

Olá.
Acesse as respostas dos exercícios das páginas 123, 126 e 128 no arquivo abaixo.

Humanismo

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

Gabarito Prova Final II Unidade

01 C
02 B
03 E

05 D
06 A

08 E
09 E
10 A
11  A
12 C
13 E
14 C
15 D, mas também considerei a C.
16 B

18 A
19 B
20 B

04 Questão Aberta

No referido fragmento de O Santo e a Porca, existem duas rubricas. A primeira inicia-se com “Empurra os quatro” e a segunda com “Abre as portas”

07 Questão Aberta

A conquista espiritual, preocupação da nobreza portuguesa, é refletida  nos trechos “[…] Não duvido que eles (os nativos), segundo a santa intenção de Vossa Alteza, se hão de fazer cristãos e crer em nossa santa fé.” e também em “Vossa Alteza que tanto deseja acrescetar a santa fé católica, deve cuidar da sua salvação […]”

17 Questão Aberta

O Patriarcalismo tem como definição ideológica a supremacia do homem nas relações sociais. Nas cantigas de amigo trovadorescas, o eu lírico feminino sofre pelo distanciamento que essa supremacia causa. É sempre o homem que se vê em viagens, a trabalho, servindo aos propósitos bélicos etc.

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

Olá pessoal. Gostaria de ver no caderno de vocês a seguinte proposta:

Leitura e resumo do texto do tópico 03 (página 88 e 89) do livro didático de Literatura.

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

Página 66.

01. Gênero dramático. No fragmento, há algumas características que foram discutidas em sala: “atores, num espaço especial, apresentam, por meio de palavras e gestos, um acontecimento; retrata fundamentalmente, os conflitos das relações humanas; há o ocultamento do eu (ou seja, não temos voz do narrador que introduz as falas, temos apenas as falas.)

02. a) Quatro: Mathias, o Frei, o Oficial  e Bárbara.
b) É a voz do Rei de Portugal (ou do Estado Português), já que o oficial apenas lê a sentença contra Calabar.
c) Temos dois discursos: O da Igreja e o do Rei.

03. a) Mathias e Bárbara.
b) Mathias apresenta-se dividido entre servir ao seu país (Brasil) e servir a Portugal ou, como ele mesmo diz, “colocar o amor à terra em que nasci acima dos interesses do rei”.
A contradição vivenciada por Mathias deve ser a mesma vivencada antes por Calabar.
c) Calabar era “um homem, brasileiro como eu [Mathias], que se atreve a pensar e agir por conta própria”.
d) “O que é bom para Portugal é bom para o Brasil”.
e) O sentimento de perda, a dor da separação (afinal o seu amante será executado). Ela tenta a superação impregnando-se no corpo do amante, feito tatuagem.

04. “À sua sorte” significa “ao acaso, aleatoriamente, sem rumo definido”; “sorte sua” significa “a sua felicidade, a sua fortuna, estar no rumo certo”.

05. Gênero Lírico, ou seja, trata-se de uma passagem lírica, escrita em versos, como parte de um texto dramático. A função poética se manifesta de forma mais evidente na seleção e combinação das palavras, o que resulta num ritmo diferente se comparado às demais falas do fragmento.

06. a) A forma verbal quero e a forma pronominal me.
b) Os substantivos escrava bailarina; os adjetivos frouxa, murcha, farta, morta. Pela concordância, concluímos que o eu poético é feminino.
c) As formas verbais de segunda pessoa (gostas, sentes) e os pronomes (teu, tua, te , você)
d) 
Há uma entrega total e absoluta do eu poético (ou seja, da mulher, Bárbara, ao seu amante, Calabar.)

Página 68.

01) Certo.

02) 01 + 02 + 04 = 07

03) a) Embora aparentemente o patrão se mostre compreensivo e fraternal, no fundo há, em sua fala, uma severa advertência ao empregado. A advertência seria desnecessária se forem considerados os quarenta anos de dedicação e um erro cometido.
b) Millôr Fernandes faz uma crítica ao comportamento do capitalista, o que nos remete ao título: o patrão é típico representante do capitalismo mais reacionário, primitivo e atrasado.

04) a) O diálogo está centrado em um conflito, temos a representação de uma situação que pode desencadear desgraça: para o leitor sensível, a cena pode infundir o terror e a piedade.
b) Conotativamente, a expressão “meu filho” deve ser entendida como maifestação da postura aparentemente paternalista que o patrão assume.

 

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário

Olá pessoal. Segue o link para leitura de A carta de Caminha a seguir:

http://objdigital.bn.br/Acervo_Digital/Livros_eletronicos/carta.pdf

Para quem quiser ouvir trechos da carta, o acesso é pelo seguinte link:

A atividade proposta é a seguinte:

Após a leitura, em sala, dos textos do livro didático e, após ler a Carta de Caminha, no caderno, você irá trazer as respostas para as seguintes respostas:

01) Qual a função exercida pelo autor da Carta?

02) Quem é o destinatário da Carta?

03) Quais particularidades do nativo brasileiro são relatadas na Carta?

04) Quais particularidades da vegetação brasileira são relatadas na Carta?

05) A linguagem utilizada pelo autor tem características poéticas ou unicamente descritivas? Justifique.

06) Qual a importância desse documento para a História e para a Literatura Brasileira?

Publicado em Ian Lima - Literarura em | Deixar um comentário