Criado em 2 de junho de 1981, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses representa em si um conjunto de dunas e lagoas, os quais compõe um lugar paradisíaco, repleto de beleza e que com certeza devem estar incluídos em seu próximo destino de viagem!

Para chegar a este paraíso ecológico, por via terrestre, o transporte intermunicipal é uma excelente alternativa para quem prefere fazer o passeio sem intermédio de agências. Por via Marítima, o turista pode optar por seguir o passeio entrando no canal do rio Preguiças em Atins. E por via aérea, pelo aeroporto de Barreirinhas.

Para entrar no Parque, o visitante não precisa pagar qualquer taxa de ingresso. O acesso é feito por veículos conhecidos como ‘jardineiras’, caminhonetes adaptadas para levar passageiros na carroceria. Dentro do parque, as caminhadas são acompanhadas por guias contratados.

Se for a Barreirinhas não pode deixar de visitar o Farol de Preguiças ou Farol de Mandacaru! No início do mês de agosto, a programação é para quem curte jazz e blues.

Por fim fique atento ao tempo e as estações secas e chuvosas. Entre maio e agosto, as lagoas estão bem cheias!

E… Bom Voyage!

Publicado em 1ª Série E em | 1 comentário

A onça parda é o segundo maior felídeo neotropical, cujo período de vida estende- se a 20 anos em cativeiro. Podem saltar de uma altura de até 15 metros! Esta bela espécie tem garras longas e vive em habitats bem diversificados, incluindo florestas tropicais e subtropicais, desertos e montanhas.

E como a natureza não tem limites e expande- se segundo as delimitações dela própria e não do homem, este felino abrange seu território aos biomas caatinga, pantanal e cerrado!

Contudo mesmo sendo um animal tão fascinante a onça parda é uma das espécies mais ameaçadas de extinção na Mata dos Cocais. Portanto encerremos as descobertas de hoje, com uma palavra que faz toda a diferença: respeito. Pois um dia está qualidade de olhar para o próximo, seja ele ser humano ou os conjuntos de ecossistemas, fará toda a diferença para as próximas gerações! O pontapé da questão é o simples…respeito a natureza e suas espécies.

Publicado em 1ª Série E em | Deixar um comentário

 

Meu coração é esse bioma!

Publicado em 1ª Série E em | 3 comentários

O babaçu é encontrado nos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Maranhão e Bahia; o óleo é constituído de grande quantidade de ácidos graxos, entre eles o ácido láurico (o mesmo do leite materno com propriedades imunológicas) em moléculas muito pequenas que lhe dão a característica de ser rapidamente absorvido pela pele e cabelo, mais ainda que o óleo de coco comum; protege também os cabelos dos nocivos raios solares.

 

Três modos de se usar o óleo do babaçu como hidratante capilar:

  1. Com o creme de hidratação: Misturar 1 colher do óleo (retirado das amêndoas) no creme hidratante, aplicar no cabelo lavado e deixar agir de 15 a 30 minutos e enxaguar.
  2. Como um pé-shampoo: aplicar a noite uma boa quantidade do óleo no cabelo e deixar agindo enquanto dorme, logo ao acordar, lavar o cabelo.
  3. Como selante: diariamente depois de passar o leave-in (protetor térmico capilar), esfregar algumas gotas na palma da mão e passar nas pontas do cabelo; o óleo forma um filme protetor que impede que o hidratante seque rapidamente.

Publicado em 1ª Série E em | Deixar um comentário

Outra palmeira de grande importância é o babaçu. Uma das mais importantes representantes das palmeiras brasileiras.

O principal produto extraído do babaçu, e que possui valor mercantil e industrial, são as amêndoas contidas em seus frutos. As amêndoas – de 3 a 5 em cada fruto – são extraídas manualmente em um sistema caseiro tradicional e de subsistência. O extrativismo do babaçu é uma das formas de sobrevivência de mais de 300 mil famílias, que se destacam as quebradeiras, mulheres assim chamadas que trabalham na extração das amêndoas.

Suas folhas servem de matéria-prima para a fabricação de utilitários – cestos de vários tamanhos e funções, peneiras, esteiras, cercas, janelas, portas, dentre outros. E como matéria-prima fundamental na armação e cobertura de casas e abrigos. Durante a seca, essas mesmas folhas servem de alimento para a criação. O óleo do babaçu também é utilizado na fabricação de cosméticos e na produção de remédios.

Publicado em 1ª Série E em | Deixar um comentário

Já que estamos falando da Mata dos Cocais, não poderíamos deixar de falar da Carnaúba não é mesmo? Uma palmeira de grande importância para região!

Ela tem cerca de 15 metros de altura e em suas folhas encontra uma cera que produz um tipo de lipídeo capaz de evitar a perda da umidade através de transpiração em razão de o clima do local onde se encontram ser muito quente.

A retirada da cera não é perecível, e ocorro na fabricação de cosméticos, plásticos, chips, códigos de barra, dentre outros. Produtos como lubrificantes, impermeabilizantes e vernizes também são feitos a partir de cera de carnaúba. E a carnaúba também produz um fruto comestível, do qual pode ser extraído óleo, palmito do caule e as raízes são usadas como medicinais.

Suas palhas são retiradas de forma que não prejudica a planta e são secadas ao sol, sem consumo de energia produzida de maneira poluente. Na retirada da cera, o que resta se torna adubo. Além de importante para a natureza, essa planta é também imprescindível para a economia local.

 

Publicado em 1ª Série E em | Deixar um comentário

Você que gosta de culinária, hoje vamos ter apresentar algumas das principais que encontramos nas regiões que abrange a Mata dos Cocais:

  • Servido e acompanhado com frutos do mar, uma típica e deliciosa comida do Maranhão o Arroz de Cuxá.

  • Você sabia que a tradicional e deliciosa Rapadura é originada do Ceará? Foi um produto que marcou muito o Ceará na época do Brasil colonial e do Império.

  • O angu de milho é um típico mingau piauiense muito apreciado na região.

  • O clássico Escondidinho se popularizou por todo o país, mas principalmente pelo Nordeste e é a comida típica do Piauí.

  • O Baião de dois pode ser degustado como acompanhamento ou prato principal. A receita básica é arroz com feijão-verde cozido, pimenta-de-cheiro, e pedacinhos queijo coalho.

Publicado em 1ª Série E em | Deixar um comentário

          A guloseima se assemelha a um bom bocado e tem o tamanho e o formato de uma tartaruguinha. A iguaria se tornou uma tradição na cidade ao ser distribuída pelos moradores durante a Festa do Divino. A receita é encontrada somente em Alcântara e foi herdada dos açorianos. – 3 xícaras de coco ralado grosso – 2 xícaras de açúcar – 1 xícara de água Massa: – 2 xícaras de farinha de trigo – 5 colheres (sopa) de óleo – 1/2 colher (chá) de sal – 1/2 xícara de água.

Modo de Preparo:

Colocar todos os ingredientes numa panela e levar ao fogo alto mexendo sem parar. Depois que a calda começar a ferver, mexer de vez em quando. Quando a mistura estiver bem cremosa, desligar o fogo, passar para um tabuleiro untado com manteiga e deixar esfriar.

Preparo da massa:

Colocar a farinha de trigo numa tigela e juntar o óleo, o sal e a água. Misturar até que a massa fique homogênea. Em seguida, polvilhar farinha de trigo sobre uma superfície de trabalho. Abrir a massa com um rolo até ficar bem fina. Com a ajuda de um copo, cortá-la em discos. Polvilhar uma assadeira com farinha de trigo e colocar os discos de massa. Preparo final: No meio de cada disco de massa, colocar uma colher de sopa generosa da cocada já fria. Decorar cada docinho com tiras finas da massa, fazendo um laço. Colocar os doces em forno quente e assar por aproximadamente 20 minutos.

 

Fonte: http://www.bonde.com.br/gastronomia/receitas/a
-tradicao-maranhense-do-doce-de-especie-107891.html

Publicado em 1ª Série E em | Deixar um comentário

Aqui vai mais um lindo lugar para se visitar:

Encanto Azul, Maranhão

As quedas d’água formam uma das piscinas mais belas do mundo!

Se você procura sossego e descanso, encanto azul, no Maranhão, é um destino perfeito para suas próximas férias!!!

A água apresenta temperatura ideal para um bom mergulho e não esqueça- se de levar câmera aprova d’água! Outros destinos belíssimos próximos ao encanto azul são: a cachoeira Santa Paula e a Santa Barbara. Além de inúmeras trilhas, (muito bem conservadas), e cavernas.

Publicado em 1ª Série E em | 11 comentários

Em dúvida sobre sua próxima viagem? Bom, aqui vai uma dica:

Praia do Coqueiro em Luís Correia.

Esta praia, a qual era uma antiga vila de pescadores, tornou- se uma excelente opção para levar famílias e amigos. A praia é sossegada com ondas pequenas e ventos fortes, perfeita para a pratica de Kitesurf. Além disso, possui uma barreira de corais em parte de sua extensão, o qual durante a maré baixa forma piscinas naturais de águas transparentes.

Caso você faça essa viagem maravilhosa no delta do parnaíba, não esqueça de assistir a Revoada dos Guarás:

E, também, o porto das barcas, às margens do rio Igaraçu.

Publicado em 1ª Série E em | 7 comentários