Anos 70

Desenhos Animados na década de 1970

Numa época pré-internet, pré-celulares, pré-tecnologia, as crianças não brincavam em aparelhos eletrônicos, e a principal diversão para elas era a televisão.  Foi a era de ouro dos programas infantis e de centenas de desenhos animados. Entre esses muitos desenhos animados de sucesso na época, vamos relembrar alguns deles.

            Super Amigos: Foi um desenho animado de grande sucesso, produzido de 1973 a 1985 pela Hanna-Barbera, baseado na Liga da Justiça da DC Comics. Na formação original de Superamigos, os mais poderosos super-heróis do universo (SupermanMulher-MaravilhaAquaman,Batman e Robin) unem suas forças, com a ajuda dos adolescentes Wendy, Marvin e o Supercão para lutar pela justiça, combater o mal e servir a toda a humanidade. A base de operações destes cinco super-heróis e seus “trainees” é chamada de Sala de Justiça, onde recebem alertas e informações do Coronel Wilcox. Um fato muito interessante nessa série e muito relevante para as crianças que assistem e seus pais é que em todos os episódios de Superamigos, trazem, além de muita ação, também lições de valores educacionais.

scoob

             Scooby-Doo: É um desenho animado estadunidense produzido pela Hanna-Barbera. Neste desenho, um grupo de quatro pessoas metidas a detetives (Fred, Velma, Daphne e Salsicha), com um Dogue Alemão falante chamado Scooby-Doo, viajam numa van chamada Máquina Mistério, e ajudam a investigar casos misteriosos. Visitam lugares inóspitos ameaçados por vilões, mas considerando os episódios, são a maioria das vezes chamados de “fantasmas”, mesmo não sendo. A fórmula dos episódios é sempre a mesma, mas isso não tira o brilho do programa: depois de uma cena de perseguição ou uma sequência musical, e por meio de algum plano ou ideia mirabolante, os vilões sempre são pegos. Estão sempre mascarados e as verdadeiras identidades são reveladas ao tirarem suas máscaras. Por trás delas há sempre o rosto de algum personagem já conhecido na história. Cada vez que são desmascarados, os vilões sempre dizem: “Eu teria conseguido se não fossem por aqueles garotos enxeridos e esse cachorro idiota”. Esse bordão faz parte de quase todos os desenhos e filmes realizados.

            Capitão Caverna e As Panterinhas: foi um desenho da década de 1970, criado por Joe Ruby e Ken Spears, e produzido pela Hanna-Barbera Productions. Foi transmitida originalmente no canal de televisãonorte-americano American Broadcasting Company (ABC), de 10 de setembro de 1977 a 21 de junho de 1980. Seu protagonista era o Capitão Caverna, um ser baixinho, troglodita, coberto de pelos e sempre com um porrete em mãos. Estava acompanhado por três garotas nos desenhos: Brenda, Tiffan e Jamie. Lembrando que no Brasil, as Teen Angels (Panterinhas), são chamadas Brenda, Kelly e Sabrina.

            Bam-Bam e Pedrita: É um desenho com produção da Hanna-Barbera. Um spin-off do clássico desenho dos Flintstones. Estreou em 1971 e teve 16 episódios de 30 minutos e quatro episódios de 8 minutos. O desenho fala sobre as aventuras de Pedrita e Bam-Bam em idade adolescente. No desenho os dois são namorados e retrata a vida e as atividades de um grupo de adolescentes na Idade Pré-Histórica.

            Tutubarão: É um desenho produzido pela Hanna-Barbera. O enredo mais uma vez seguia o estilo grupo de adolescentes com animal de estimação. As aventuras se passavam no futuro e as cidades eram no fundo do mar. O grupo era composto por Bife, o líder; Leila, uma garota esnobe; Bolha, uma loira burra; e Linguiça, o melhor amigo de Tutubarão, que era um tubarão branco bem atrapalhado. Eles formavam a banda subaquática Os Netunos. Durante as viagens em turnê, sempre acabavam cruzando com criminosos e vilões. Como para salvar o mundo só música não basta, Tutubarão e seus amigos partiam para a ação. O desenho foi criado aproveitando o sucesso do filme Tubarão, de Steven Spielberg, mas teve apenas uma temporada, com 16 episódios. Tutubarão é ainda muito lembrado hoje pela sua frase: “não tem nenhum respeito.” Houve muitos boatos sobre processos e que o desenho seria uma imitação de Scooby-Doo, mas o desenho não saiu do ar. Diferentemente do Scooby-Doo, Tutubarão era muito corajoso e destemido, apenas a Leila o assustava.

bicudoBicudo – O Lobisomen: É um desenho animado produzido em 1978 pela Ruby-Spears Productions. Derivado direto do Scooby-Doo, também criado por Joe Ruby e Ken Spears, o desenho conta com quatro adolescentes: Kim, Bill, Gordinho e Bicudo que se transforma num lobisomem toda vez que vê a lua ou uma imagem da lua e que consegue resolver mistérios envolvendo assombrações. Bicudo, logo que se transforma, costuma atacar Gordinho, antes de reconhecer seu amigo. Sempre que ouve alguma palavra que lembre comida, ele tenta comer o Gordinho. Quando isso acontece, Bill e/ou Kim o acalmam. Também, quando acontece de Bicudo ver sua imagem num espelho, ele enlouquece, correndo em círculos pelo chão. Quando vê o sol, ou uma imagem do sol, Bicudo se transforma novamente e volta ao normal.

Apesar dos apuros temporários que Gordinho passa quando Bicudo se transforma, a turma nunca hesita em fazê-lo se transformar para tirar vantagem do poder do lobisomem em conter algum perigo. Na verdade, eles sempre se referem a Bicudo, transformado em lobisomem, como sua “arma secreta”.

Bicudo não tem consciência da sua forma de lobisomem, mas ao se transformar já toma conhecimento imediato do que se passa. Por isso ele nunca parece ter dúvida de como ele pode estar sempre num lugar diferente, enquanto ao voltar ao normal, ele sempre se sente desconcentrado.

Fonte: http://virgula.uol.com.br/tvecinema/quais-desenhos-da-tv-marcaram-sua-infancia-nos-anos-70-e-80/#img=1&galleryId=965131

DITADURA MILITAR… UM POUCO DE HISTÓRIA (da década de 60 à década de 70)

DITADURA X REGIME MILITAR:

Na primeira parte de governo, apesar da população não poder votar para presidente, eles ainda poderiam votar para senador e deputado estadual e federal… era uma pseudodemocracia. Ou seja, a nomenclatura correta para a primeira fase do governo seria “regime civil militar”.
Porém, em determinada fase do governo, durante a fase em que o AI-5 estava sendo aplicado, nós realmente tivemos uma ditadura, pois direitos básicos de qualquer democracia foram extintos, como o de defesa e o direito de saber o motivo da acusação.
Antes do golpe militar, o presidente do Brasil era o João Gullar, porém, como ele estava tomando algumas medidas de esquerda, e na época tinha muito medo do comunismo, em algumas cidades do país foi organizada a “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, em 1964, que foi o pedido de parte da população para que ocorresse intervenção militar.
O governo dos EUA, como de costume, também estava com medo de que o Brasil seguisse o exemplo de Cuba e instaurasse o comunismo. Então, há algum tempo, ele já estava mandando agentes da CIA para o Brasil para que implantassem essa ideia na cabeça dos militares e ensinarem métodos de torturas.
No dia primeiro de abril de 1964 os militares tomam o poder do Brasil. João Gullar foge do país e Castelo Branco assume a presidência.
Durante o governo de Castelo Branco (1964-1967), ele implantou um novo plano econômico, que, apesar de muito impopular, ajudou na economia; criou um serviço de espionagem, o Serviço Nacional de Espionagem. Também foi no seu governo que ele implantou os Atos Institucionais números um, dois, três e quatro.
AI-1: Eleições indiretas para presidente e cassação de mandato.
AI-2: Bipartidarismo (ARENA e MDB).
AI-3: Eleições indiretas para governador.
AI-4: Nova constituição.
O próximo presidente seria o Costa e Silva. Nesse período, com o aumento da rigidez do governo, também surgiram mais guerrilheiros e passistas. Nessa época, grandes artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Elis Regina e Chico Buarque atacavam os militares através de suas músicas.
Nessa época, foi lançado o famigerado AI-5: Aumento do poder executivo:
• Polícia e exército não necessitavam mais de um mandato para prender qualquer pessoa.
• Qualquer pessoa poderia ser presa, mesmo sem motivo aparente.
• Foi extinto o Habeas Corpus.
• Não era mais possível solicitar um advogado, caso você fosse preso.
Sem título-13

No dia seguinte à publicação do AI-5, ocorreu um verdadeiro pânico entre a população e muita gente fugiu do pais. Até o final de 1969, que foi quando Costa e Silva precisou se afastar do governo, foram lançados mais doze atos institucionais.
Mesmo com o fim do governo Costa e Silva, a repressão continuava, porém muito mais forte. Era o início do governo Médici. Em seu governo houve o auge da repressão. Nessa época, para os inimigos do governo, esses foram “os anos de chumbo”. Todavia, também foi nessa época, que o Brasil viveu, para aqueles a favor do governo, o “milagre econômico”. Como o próprio nome sugere, essa foi a época de maior prosperidade econômica do Brasil. Infelizmente, com a crise do petróleo, o milagre não durou muito. Nessa época, o governo se importava muito em criar um sentimento de patriotismo na população, utilizando a propaganda para infiltrar esse sentimento. Ele ficou ainda mais forte quando o Brasil ganhou a copa do mundo de 1970. Foi quando surgiu o famoso slogan:

Sem título-14

Com o fim do mandato de Médici, o próximo presidente do Brasil seria o Geisel. Ela achava que o governo havia passado dos limites, portanto, alivia a repressão, bane todos os atos institucionais e demite alguns militares. Por outro lado, também fez com que grande parte do senado não fosse escolhido pela população, e sim pelo presidente. Isso aconteceu porque na eleição para senador, a ARENA não teria a maioria no senado. Entretanto, quando ele assume a presidência, assume um país quebrado, já que o “milagre econômico” havia acabado, o que fez com que os militares perdessem o apoio.
Na época, começaram os inúmeros protestos contra as barbaridades cometidas pelo governo, o que levou a Comissão dos Direitos Humanos a ficar preocupada com essa questão nos países que tinham ditadura.
Em 1979, João Figueiredo assume a presidência. Ele seria o último presidente militar brasileiro. Ao assumir o poder, tem como objetivo transformar o Brasil em uma democracia. Uma das primeiras coisas que fez ao assumir o mandato foi a criação da “Lei da Anistia”, que perdoava todas as pessoas acusadas de crimes políticos durante a ditadura. Por esse motivo, hoje temos vários torturadores que nunca pagaram pelos seus crimes.

Sem título-15

Essa lei teve duas consequências principais: a primeira foi a volta de diversos exilados e a segunda foi a violência por parte dos militares, já que, como eles não queriam sair do governo, começaram a arquitetar vários atentados.
Durante o seu governo, Figueiredo também acabou com o bipartidarismo, permitindo a abertura partidária. A ARENA (militares) virou PDS; o MDS (oposição) virou PMDB; além do retorno de vários partidos e do surgimento de muitos outros.
Com isso, quando os brasileiros foram às urnas para escolher seus governadores, a oposição ganhou em vários estados, sinal de que o regime estava perto do fim.
Em seu mandato, ainda ocorreram as “Diretas, já!”. Foram diversas manifestações que aconteceram no Brasil, pedindo eleições diretas para presidente.

Sem título-16

Infelizmente, a emenda não foi aprovada e as próximas eleições seriam indiretas. No entanto, nenhum candidato era militar. Nas eleições seguintes, porém, Tancredo Neves ganha e decretava, oficialmente, o fim do regime militar. Entretanto, ele morreu antes de assumir a presidência. Quem assume é seu vice, José Sarney. O Brasil só votaria para presidente em 1990, quando Fernando Collor foi eleito.

Texto escrito pela aluna Maria Luiza Macêdo, 8ª série C

Vitória da Conquista na Ditadura Militar

Em Vitória da Conquista, o Golpe Militar atingiu o então prefeito José Pedral Sampaio e outras lideranças políticas, tendo como um fato marcante a cassação do prefeito e a morte do vereador Péricles Gusmão. Para perscrutar os meandros desse episódio, a Comissão Municipal da Verdade foi instituída. Desde sua fundação, já houve uma audiência pública na qual se realizou a restituição simbólica pelo prefeito Pedral Sampaio, foi emitida uma moção em torno do falecido vereador Péricles Gusmão e já foram ouvidos em torno de dez presos políticos do período da ditadura num universo de 35, dentre os quais alguns já não estão mais vivos.

Sem título-17

A primeira presidência do MDB baiano com Régis Pacheco, eleição de Jadiel Matos (MDB) à prefeitura em 1972, a eleição do sucessor (Raul Ferraz), o retorno de José Pedral (PMDB) ao executivo municipal em 1982, eleição de novo sucessor (Murilo Mármore – PMDB), a eleição de deputados estaduais na segunda metade da década de 70 (Jadiel Matos e Elquisson Soares), a eleição de deputados federais (Elquisson Soares e Raul Ferraz) e, por fim, a participação ativa na campanha e eleição de Waldir Pires em 1986, deram ao grupo político afastado do poder municipal em 1964 – rotulado ao cabo do processo apresentado de Pedralista – a áurea de núcleo oposicionista, com traços de esquerda democrática, e à polis sertaneja o de “bastião da resistência democrática”.

FONTES:

http://revistagambiarra.com.br/site/a-memoria-de-conquista-sobre-o-golpe-de-64

http://www.uesb.br/anpuhba/artigos/anpuh_III/belarmino_jesus.pdf

DITADURA MILITAR: Curiosidades

ATOS DE RESISTÊNCIA

  1. Sem título-18Em 11 de março de 1970, revolucionários brasileiros raptaram o cônsul japonês, Nobuo Okushi, com a intenção de libertar presos políticos.
  2. Na noite de 8 de maio de 1970, após descobrirem que o tenente da Polícia Militar do Estado de São Paulo Alberto Mendes Júnior havia se infiltrado e delatado a VPR, o mesmo foi sequestrado por guerrilheiros e executado a golpes de coronhadas no rosto pelo desertor do exército Carlos Lamarca.
  1. Nada melhor para difundir uma ideologia do que incluí-la na educação. Foi exatamente o que aconteceu durante o regime militar no Brasil. Disciplinas que discutiam questões sociais e despertavam o pensamento crítico, como a Sociologia e a Filosofia, foram excluídas do currículo escolar em todo o país. No lugar delas, outras matérias que garantiam a “ordem e o progresso” foram incorporadas. Dessa maneira, a educação brasileira acabou passando por mudanças intensas.

 

Sugestões de Livros

Sem título-19

A Ditadura Envergonhada, Elio Gaspari, Companhia das Letras, 2002 – Primeiro volume da série Ilusões Armadas, vai da conspiração que gerou o golpe ao AI-5

A Ditadura Escancarada, Elio Gaspari, Companhia das Letras, 2002 – No segundo volume, o jornalista trata dos anos de chumbo do regime

A Ditadura Derrotada, Elio Gaspari, Companhia das Letras, 2003 – Aborda a distensão, a trajetória do presidente Geisel e a de seu principal colaborador, Golbery do Couto e Silva

A Ditadura Encurralada, Elio Gaspari, Companhia das Letras, 2004 – Trata da abertura e da redemocratização

Democratizando o Brasil, Alfred Stepan (org.), Paz e Terra, 1988 – Com artigos de Thomas Skidmore, Bolivar Lamounier e outros, aborda a redemocratização

Brasil: de Castelo a Tancredo, Thomas E. Skidmore e Mario Salviano Silva, Editora Paz e Terra, 1988 – O livro traz a visão do respeitado estudioso norte-americano sobre a ditadura brasileira

Combate nas Trevas, Jacob Gorender, Ática, 1998 – O autor participou de organização clandestina e trata das ações da esquerda até 1974

Ditadura Militar, Esquerdas e Sociedade, Daniel Aarão Reis, Jorge Zahar Editor, 2000 – O historiador analisa criticamente o papel da esquerda no golpe de 1964 e fornece um painel internacional do mundo nos anos 60

Eu Não Sou Cachorro, Não (Música Popular Cafona e Ditadura Militar), Paulo César de Araújo, Record, 2003 – Mostra como a censura atingiu a canção popular romântica

 

FONTE:

http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/ditadura-fato-versao-434201.shtml

http://ditadurasmilitares.blogspot.com.br/p/curiosidades.html

http://www.fatosdesconhecidos.com.br

Desenhos Animados na década de 1970

Numa época pré-internet, pré-celulares, pré-tecnologia, as crianças não brincavam em aparelhos eletrônicos, e a principal diversão para elas era a televisão.  Foi a era de ouro dos programas infantis e de centenas de desenhos animados. Entre esses muitos desenhos animados de sucesso na época, vamos relembrar alguns deles.

Scooby-Doo: É um desenho animado estadunidense produzido pela Hanna-Barbera. Neste desenho, um grupo de quatro pessoas metidas a detetives (Fred, Velma, Daphne e Salsicha), com um Dogue Alemão falante chamado Scooby-Doo, viajam numa van chamada Máquina Mistério, e ajudam a investigar casos misteriosos. Visitam lugares inóspitos ameaçados por vilões, mas considerando os episódios, são a maioria das vezes chamados de “fantasmas”, mesmo não sendo. A fórmula dos episódios é sempre a mesma, mas isso não tira o brilho do programa: depois de uma cena de perseguição ou uma sequência musical, e por meio de algum plano ou ideia mirabolante, os vilões sempre são pegos. Estão sempre mascarados e as verdadeiras identidades são reveladas ao tirarem suas máscaras. Por trás delas há sempre o rosto de algum personagem já conhecido na história. Cada vez que são desmascarados, os vilões sempre dizem: “Eu teria conseguido se não fossem por aqueles garotos enxeridos e esse cachorro idiota”. Esse bordão faz parte de quase todos os desenhos e filmes realizados.

            Super Amigos: Foi um desenho animado de grande sucesso, produzido de 1973 a 1985 pela Hanna-Barbera, baseado na Liga da Justiça da DC Comics. Na formação original de Superamigos, os mais poderosos super-heróis do universo (Superman, Mulher-Maravilha, Aquaman,Batman e Robin) unem suas forças, com a ajuda dos adolescentes Wendy, Marvin e o Supercão para lutar pela justiça, combater o mal e servir a toda a humanidade. A base de operações destes cinco super-heróis e seus “trainees” é chamada de Sala de Justiça, onde recebem alertas e informações do Coronel Wilcox. Um fato muito interessante nessa série e muito relevante para as crianças que assistem e seus pais é que em todos os episódios de Superamigos, trazem, além de muita ação, também lições de valores educacionais.

            Capitão Caverna e As Panterinhas: foi um desenho da década de 1970, criado por Joe Ruby e Ken Spears, e produzido pela Hanna-Barbera Productions. Foi transmitida originalmente no canal de televisãonorte-americano American Broadcasting Company (ABC), de 10 de setembro de 1977 a 21 de junho de 1980. Seu protagonista era o Capitão Caverna, um ser baixinho, troglodita, coberto de pelos e sempre com um porrete em mãos. Estava acompanhado por três garotas nos desenhos: Brenda, Tiffan e Jamie. Lembrando que no Brasil, as Teen Angels (Panterinhas), são chamadas Brenda, Kelly e Sabrina.

            Bam-Bam e Pedrita: É um desenho com produção da Hanna-Barbera. Um spin-off do clássico desenho dos Flintstones. Estreou em 1971 e teve 16 episódios de 30 minutos e quatro episódios de 8 minutos. O desenho fala sobre as aventuras de Pedrita e Bam-Bam em idade adolescente. No desenho os dois são namorados e retrata a vida e as atividades de um grupo de adolescentes na Idade Pré-Histórica.

            Tutubarão: É um desenho produzido pela Hanna-Barbera. O enredo mais uma vez seguia o estilo grupo de adolescentes com animal de estimação. As aventuras se passavam no futuro e as cidades eram no fundo do mar. O grupo era composto por Bife, o líder; Leila, uma garota esnobe; Bolha, uma loira burra; e Linguiça, o melhor amigo de Tutubarão, que era um tubarão branco bem atrapalhado. Eles formavam a banda subaquática Os Netunos. Durante as viagens em turnê, sempre acabavam cruzando com criminosos e vilões. Como para salvar o mundo só música não basta, Tutubarão e seus amigos partiam para a ação. O desenho foi criado aproveitando o sucesso do filme Tubarão, de Steven Spielberg, mas teve apenas uma temporada, com 16 episódios. Tutubarão é ainda muito lembrado hoje pela sua frase: “não tem nenhum respeito.” Houve muitos boatos sobre processos e que o desenho seria uma imitação de Scooby-Doo, mas o desenho não saiu do ar. Diferentemente do Scooby-Doo, Tutubarão era muito corajoso e destemido, apenas a Leila o assustava.

            Bicudo – O Lobisomen: É um desenho animado produzido em 1978 pela Ruby-Spears Productions. Derivado direto do Scooby-Doo, também criado por Joe Ruby e Ken Spears, o desenho conta com quatro adolescentes: Kim, Bill, Gordinho e Bicudo que se transforma num lobisomem toda vez que vê a lua ou uma imagem da lua e que consegue resolver mistérios envolvendo assombrações. Bicudo, logo que se transforma, costuma atacar Gordinho, antes de reconhecer seu amigo. Sempre que ouve alguma palavra que lembre comida, ele tenta comer o Gordinho. Quando isso acontece, Bill e/ou Kim o acalmam. Também, quando acontece de Bicudo ver sua imagem num espelho, ele enlouquece, correndo em círculos pelo chão. Quando vê o sol, ou uma imagem do sol, Bicudo se transforma novamente e volta ao normal.

Apesar dos apuros temporários que Gordinho passa quando Bicudo se transforma, a turma nunca hesita em fazê-lo se transformar para tirar vantagem do poder do lobisomem em conter algum perigo. Na verdade, eles sempre se referem a Bicudo, transformado em lobisomem, como sua “arma secreta”.

Bicudo não tem consciência da sua forma de lobisomem, mas ao se transformar já toma conhecimento imediato do que se passa. Por isso ele nunca parece ter dúvida de como ele pode estar sempre num lugar diferente, enquanto ao voltar ao normal, ele sempre se sente desconcentrado.

Fonte: http://virgula.uol.com.br/tvecinema/quais-desenhos-da-tv-marcaram-sua-infancia-nos-anos-70-e-80/#img=1&galleryId=965131